A Fantasia na Música: Ayreon - The Final Experiment


Ainda que possua um significativo séquito de admiradores, é uma pena que o rock progressivo também arraste pelo mundo uma legião de detratores. Portanto, não é raro presenciar alguém efetuar uma cara de quem acaba de digerir sopa de jiló e óleo de bateria ao pensar que terá que ouvir músicas gigantescas conduzidas por solos de guitarra intermináveis.

Nos anos 90, o rock progressivo angariou o status de patinho feio devido ao advento do grunge, quando o mundo ficou sob os pés do Nirvana e outras bandas igualmente excelentes. Mesmo assim, grupos como Dream Theater, Type O’ Negative e até o Guns ‘n’ Roses ousavam gravar longas faixas que dominavam praticamente um lado inteiro do vinil. Uma dessas bandas é o Ayreon, que não é conhecida, mas denota em sua sonoridade todos os atributos do tal rock progressivo. Além disso, o Ayreon possui letras que se encaixam perfeitamente no tema dessa postagem: “Fantasia na música”.

O Ayreon não é extamente uma banda, mas sim, um projeto lançado em 1995 e idealizado pelo guitarrista Arjen Anthony Lucassen, um sujeito que nos anos 80 tocou em bandas como Bodine e Vengeance. Tais grupos executavam um hard rock farofa e, se fizeram algum sucesso, foi tão efêmero quanto desejo de grávida.

Arjen Lucassen

Foi então que nos anos 90, Arjen concebeu um projeto chamado Ayreon, que é uma ópera rock em que vários vocalistas e instrumentistas são convidados para tocar músicas compostas por ele, que unidas narram uma história. A narrativa do primeiro álbum foi idealizada pelo próprio Arjen e possui elementos que vão da fantasia para a ficção científica com a mesma facilidade de uma nave que ruma para a constelação de Órion na velocidade da luz.

Esse disco de estreia do projeto Ayreon, lançado em 95, contou com vocalistas e instrumentistas não tão conhecidos do grande público, talvez o nome mais famoso seja Andi Deris, que naquelas alturas já estava assumindo o cargo de vocalista do Helloween.

A sinopse do álbum fala sobre história de Ayreon, um menestrel cego que vive na Bretanha do século VI d.C. O cara de repente passa a ter visões acerca do futuro e assim ele descobre que a humanidade vai se tornar um mundo pós-apocalíptico.

Na música chamada Prólogo, que abre o disco, é explicado que no ano de 2084, cientistas encontraram uma maneira de enviar mensagens de volta no tempo por meio de telepatia, ao que chamaram de "Telepatia do Tempo". Com a Terra praticamente detonada por várias causas diferentes, os cientistas possuem uma única esperança com essa experiência: advertir o povo do passado para evitar que o destino do planeta seja algo tão inóspito.

As outras canções, divididas respectivamente em atos, como se fossem uma peça de teatro, seguem a história do Ayreon ao tentar convencer os outros de que ele não é louco, endemoniado, herege, possuído e outros males atribuídos a muitos visionários que viveram durante a Idade Média.

A sonoridade do disco contém teclados sintetizados com sons bem viajantes, longas passagens instrumentais e solos de guitarra pink floydianos. Há espaço até para alguns arranjos grandiosos que remetem o ouvinte aos tempos arturianos e castelos medievais.

Arjen, nos anos posteriores, continuou a lançar mais discos desse projeto, sempre com a temática que às vezes invade o reino da fantasia, outras vezes parte para o espaço da ficção científica.
Atualmente a discografia do projeto Ayreon já está no seu décimo quarto álbum. As histórias, sempre concebidas pelo guitarrista Arjen, se conectam, mesmo que seja de forma tênue, entre um álbum e outro.

Desde 1995 até agora já participaram no projeto Ayreon nomes como Simone Simons (Epica), James Labrie (Dream Theater), Tobbias Sammet (Edguy/Avantasia), Hansi Kurch (Blind Guardian) e mais uma cambada desconhecida para ouvidos não acostumados ao universo do Heavy Metal e Rock Progessivo, mas bastante famosos entre os apreciadores do gênero.

Ayreon - The Final Experiment: Recomendado para aqueles que acham que Philip K. Dick e riffs de guitarra formam uma divertida e interessante combinação.


Previous
Next Post »