Faroeste Caboclo - O filme


A música Faroeste Caboclo foi composta por Renato Russo, na sua fase “trovador solitário”  em 1979, mas chegou aos ouvidos dos brasileiros em 1987, no álbum “Que país é este”?

Nitidamente influenciada por Bob Dylan, essa música, mesmo sem refrão e com alguns palavrões aqui e ali, era presença obrigatória nas emissoras de rádios e os programadores tinham que se virar para encaixar os seus mais de oito minutos de duração. O fato é que essa canção virou um dos maiores hits do Legião Urbana.

O título Faroeste Caboclo não é por acaso. Basta reparar na letra, em que 168 versos narram a trágica história de um tal João do Santo Cristo, que vai para Brasília tentar mudar de vida. Ali estão todos os ingredientes para uma violenta e dramática história western. Os tiros, a rivalidade, o ciúme, sangue, suor e lágrimas. Faroeste Caboclo clamava para ser adaptada para alguma outra mídia. E é exatamente isso que aconteceu.

O longa-metragem, Faroeste Caboclo, dirigido pelo estreante René Sampaio, tem no elenco Isis Valverde (Maria Lúcia), Fabrício Boliveira (João do Santo Cristo) e Felipe Abib (Jeremias).


Além disso, quem conhece a música (acredito eu que 90% dos seres que nasceram nos anos 80) sabe que o pai de João do Santo Cristo é um personagem que ajuda a moldar o perfil do protagonista. Toda a raiva pela vida sofrida aumenta quando o pai é executado com um tiro de um soldado. 


Para interpretar esse personagem-chave na trama, foi chamado o excelente Flávio Bauraqui, ator gaúcho nascido em Santa Maria, que já apareceu em tudo quanto é novela e protagonizou vários filmes, tais como Quincas Berro D’água, Meu nome não é Johnny e o violentíssimo curta-metragem Ninjas, dirigido por Dennison Ramalho.

Abaixo confira o trailer do filme Faroeste Caboclo:



O filme irá estrear no dia 30 de maio desse ano.
Previous
Next Post »

5 comentários

Write comentários
Anónimo
AUTHOR
24 de janeiro de 2013 às 11:43 delete

Milagre eu não ver aí o nome do Wagner Moura ou do Selton Mello.

Gabriel

Reply
avatar
Anónimo
AUTHOR
24 de janeiro de 2013 às 20:25 delete

E falando em cinema nacional, em 2013 faz 50 anos que o José Mojica Marins criou o mito Zé do Caixão. Para todos os efeitos, esse coveiro é o nosso Jason Vorhees, o nosso Freddy Krueger... Bem que vocês poderiam render uma homenagem.

Thiago

Reply
avatar
Marcel Ibaldo
AUTHOR
24 de janeiro de 2013 às 21:15 delete

E o Wagner Moura, que até foi vocalista do Legião Urbana recentemente, só não tenteou uma participação porque está em paragens blockbuster-gringas.
Matéria especial com o Coffin Joe?
Aguardemos.

Reply
avatar
24 de janeiro de 2013 às 22:41 delete

O José Mojica Marins já entrou na fila. Aguardem...

Reply
avatar
Anónimo
AUTHOR
25 de janeiro de 2013 às 16:15 delete

Curioso já!

Reply
avatar